ACHADOS NECROSCÓPICOS EM INTOXIÇAÇÃO EXÓGENA POR ORGANOCLORADO – RELATO DE CASO

Ricella Maria Souza da Silva; Instituto de Polícia Científica da Paraíba; Núcleo de Polícia Científica de Guarabira; Seção de Medicina Legal.

E-mail: ricellasouza@gmail.com

INTRODUÇÃO: A intoxicação é um processo patológico causado por substâncias químicas endógenas ou exógenas em consequência de alterações bioquímicas no organismo. No Brasil, é elevada a incidência de intoxicações fatais devido à falta de estratégias de controle e prevenção, associadas ao fácil acesso da população a um número crescente de substâncias lícitas e ilícitas com alto grau de toxicidade.

OBJETIVO: Relatar um caso de intoxicação por pesticida, de uso prescrito no Brasil, com desfecho fatal e apresentação ectoscópica vultuosa.  

RELATO DE CASO: D.C.D.L.C, masculino, 30 anos, antecedente patológico de epilepsia, encontrado sem vida em seu quarto. O exame cadavérico externo mostrou: sufusão hemorrágica subconjuntival, líquido sanguinolento nas narinas e desidratação labial, petéquias ora cianóticas, ora violáceas, envolvendo porção cefálica (excluindo-se segmento nasolabial), região cervical, tronco, membros superiores e membros inferiores. No tronco apresentaram-se mais violáceas, algumas coalescentes, ilustrando um padrão de hachura que se interrompem em hemitórax direito e região abdominal esquerda ao esboçar o formato de quirodáctilos e de uma mão respectivamente. Os achados macroscópicos internos foram congestão cerebral, edema cerebral, congestão pulmonar e hepática, sangue fluido e escuro aos cortes. O exame toxicológico detectou a substância química Endosulfan, nos extratos de urina e conteúdo estomacal coletados do cadáver.

DISCUSSÃO: O Endosulfan é um pesticida e acaricida pertencente à classe dos Organoclorados (ciclodieno), classificado na Categoria I: “Altamente tóxico” pela Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos. A intoxicação por este agente produz uma alta mortalidade, cerca de um quarto dos indivíduos evoluem para o óbito, geralmente cerca seis a oito horas após exposição. Os achados macroscópicos em necropsias evidenciam danos ao sistema nervoso central, as lesões variam desde congestão e hiperemia, até o edema cerebral. As lesões pulmonares se centram na presença de petéquias viscerais pela asfixia aguda não mecânica e em outros sinais de asfixia.

CONCLUSÃO: O óbito deu-se por intoxicação exógena por organoclorado com apresentação ectoscópica incomum.

REFERÊNCIAS:

ANVISA Bulário Eletrônico. Disponível em www4.anvisa.gov.br. Acesso em julho de 2016.

DICIONÁRIO de Especialidades Farmacêuticas. São Paulo: Editora de Publicações Científicas, 2008.

ENDOSULFAN. Responsável técnico NORTOX S.A. Arapongas – PR . Bula

FRANÇA, Genival Veloso de. Medicina legal. Guanabara-Koogan, 2015.