ESTUDO ESTATÍSTICO DA INCIDÊNCIA DE SUÍCIDOS NA CIDADE DE RONDONÓPOLIS – MT

Maurício Alves Pereira, Perito Médico Legista, Instituto Médico Legal, Rondonópolis/MT – POLITEC – Secretaria de Segurança Pública do Estado de Mato Grosso. Professor de Clínica Médica do Curso de Medicina – ICEN – Campus Universitário de Rondonópolis – Universidade Federal de Mato Grosso.

Endereço: Rua Oswaldo Cruz, 1997, Vila Goulart, Rondonópolis/MT, CEP. 78.745-435. Telefone: (66) 3421-3198 e (66) 99901-0474. E-mail: mauricio_1a@yahoo.com.br

Tania de Meneses e Macedo, Acadêmica do Curso de Medicina – ICEN – Campus Universitário de Rondonópolis – Universidade Federal de Mato Grosso.

Gabriela Proto Dias, Acadêmica do Curso de Medicina – ICEN – Campus Universitário de Rondonópolis – Universidade Federal de Mato Grosso.

Lorraine Pires Londe, Acadêmica do Curso de Medicina – ICEN – Campus Universitário de Rondonópolis – Universidade Federal de Mato Grosso.

O presente trabalho visa trazer uma contribuição para o conhecimento da incidência de suicídios no Brasil. O presente estudo foi realizado na cidade de Rondonópolis, localizada na Região Sudeste do Estado de Mato Grosso, na Região Centro Oeste do Brasil, cuja população é de 212.000 habitantes (CENSO IBGE 2014), no período compreendido entre 01 de janeiro de 1991 e 31 de dezembro de 2015, com dados colhidos no Instituto Médico Legal dessa cidade. Foram considerados os seguintes parâmetros: sexo, método utilizado para o suicídio, idade, raça e período climático em que ocorreram as mortes. No período acima citado, foram realizadas 5.591 necropsias, das quais 1.853 referem-se a homicídios, 2.922 referem-se a acidentes, 282 referentes a suicídios e 544 de mortes suspeitas. Em se tratando dos suicídios, atingiram o percentual de cerca de 5% (4,86%) do total das necropsias realizadas. O ano em que houve o maior número de suicídio foi 2014, com 19 casos registrados. A incidência de suicídio nas pessoas do sexo masculino foi cerca de 7 vezes maior do que nas pessoas do sexo feminino, no período mencionado. Tanto no sexo masculino quanto no sexo feminino ocorreu a predominância da utilização do método de enforcamento. No que diz respeito ao uso de arma de fogo, o local predileto do disparo foi o crânio.  A incidência em indivíduos da raça negra foi maior – mais que o dobro – do que nos indivíduos da raça branca. Houve uma distribuição muito semelhante entre as estações do ano, com predomínio na primavera. Cerca de 70% dos indivíduos tanto do sexo masculino quanto do sexo feminino estavam na faixa etária entre 15 e 44 anos de idade, sendo o mais novo com 16 anos de idade e o mais velho com 91 anos de idade. A incidência média anual de suicídios foi de 11,28, perfazendo 5,32 suicídios a cada grupo de 100 mil habitantes. Nos parâmetros religião, profissão, estado civil e saúde física e mental, não foi possível fazer o estudo comparativo, em face da deficiência de dados.