EXAMES COMPLEMENTARES PARA VERIFICAÇÃO DO TEMPO DE MORTE EM MEDICINA LEGAL

Gerson Odilon Pereira (1)

Maria Eduarda de Freitas Melo (2)

Ricardo César Cardoso de Lima Júnior (3)

Rodrigo Santana de Luna Batista (4)

Taciane Marques Cavalcante (5)

(1) Especialista em Medicina Legal, Especialista em Medicina do Trabalho, Doutorando em Bioética pela Universidade do Porto e Professor do curso de Medicina do Centro Universitário TiradentesUNIT de Maceió- AL

(2) Graduanda do curso de Medicina do Centro Universitário Tiradentes- UNIT de Maceió- AL.

(3) Graduando do curso de Medicina do Centro Universitário Tiradentes- UNIT de Maceió- AL.

(4) Graduando do curso de Medicina do Centro Universitário Tiradentes- UNIT de Maceió- AL.

(5) Graduanda do curso de Medicina do Centro Universitário Tiradentes- UNIT de Maceió- AL.

INTRODUÇÃO: O presente trabalho aborda os exames complementares para verficar o tempo de morte em Medicina Legal, podendo ser definidos por exames posteriores que atuam como complemento à primeira perícia – que podem ser vistos como um remate aos exames de praxe realizados, atuando como subsídios ao “diagnóstico” da morte, e, para isso, analisam, entre outros fatores, a mudança na composição bioquímica do cadáver e as respostas desse a estímulos externos. Em tal área, que envolve mutuamente o Direito e a Medicina, os conhecimentos desta têm proveito para se chegar a conclusões sobre as causas que acarretaram a morte – auxiliando aquele -, de modo a utilizar vários métodos para realizar a perícia médico-legal em corpos sem vida. Com isso, entre os artifícios existentes para fins de acréscimo à primeira perícia, estão os exames complementares para verificar o tempo de morte, que divide-se em vários tipos ao passo que lançam mão de diversas técnicas para alcançar esses objetivos. O principal objetivo dos exames complementares em autópsia é, entre outros, determinar informações relativas à morte, buscando esclarecer o ato que a acarretou – seja criminoso ou não -.

METODOLOGIA: Desenvolveu-se uma revisão bibliográfica baseada em livros e artigos, explorando as técnicas mais utilizadas desses exames – conhecendo seus principais tipos e métodos. Objetivo: Percebeu-se com a pesquisa que, apesar da existência de vários métodos, esses são pouco utilizados dentro dos exames complementares, despertando a curiosidade sobre a eficácia desses.

CONCLUSÃO: Com isso, concluiu-se que maior parte dos métodos é conclusivo e permite maior segurança à necrópsia, sendo interessante observar que pode também haver imprecisão, visto que se trata de informações acerca de um corpo sem vida, pois – em certas técnicas – há dispersões dos valores encontrados, caracterizando inutilidade devido à incerteza transmitida. Portanto, vê-se a importância de abastecer os Institutos Médico Legal com laboratórios providos de recursos suficientes para uma necrópsia com resultados satisfatórios.

CONSIDERAÇÕES FINAIS: Entretanto, a observação minuciosa junto ao conhecimento médico, às técnicas e à experiência dos profissionais envolvidos possibilitam a realização de um trabalho satisfatório e de suma relevância para a sociedade.