ACHADOS HISTOPATOLÓGICOS EM MORTE INICIALMENTE SUSPEITA DE ENVENENAMENTO

Anderson da Silva Costa (1)

Antônio Tavares da Silva (2)

Luis Gustavo Ferreira Cortes (3) 

Renato Evando Moreira Filho (4) 

Ana Leopoldina Nogueira Rocha (5) 

Manuela Chaves Loureiro Cândido (6)

Victor Hugo Medeiros Alencar (7) 

Ricardo Antônio Macêdo Lima (8)

(1) Médico Perito Legista PEFOCE

(2) Médico Perito Legista PEFOCE

(3)Médico Patologista

(4) Médico Perito Legista PEFOCE

(5) Médico Perito Legista PEFOCE

(6) Perito Criminal PEFOCE

(7) Médico perito Legista PEFOCE

(8) Perito CriminalPEFOCE

Introdução

Periciando é um homem de 48 anos que veio a óbito após ser achado em casa em uma morte suspeita de envenenamento pelo seu companheiro, segundo guia policial, com quem convivia. Foi encontrado com hemoptise e na necropsia foi evidenciado pulmões hipertrofiados, drenando secreção seropurelenta. Metodologia: no exame anatomopatológico são realizados os exames macroscópicos em cortes de fatias de tamanhos em cm ou mm e observados à lupa e após isso fabricados lâminas histológicas para observação microscópicas. Nesse caso, foi recebido material em recipiente contendo solução fixadora, formol a 10%. Recebido material em 2 frascos contendo solução fixadora identificados como coração e pulmão . Macroscopia: consta de fragmento de pulmão medindo 9,0 x 9,5 x 4,0 cm, com pleura parcialmente aderida, de consistência elástica. Aos cortes, sobre as áreas de pleura aderida notam-se formações bolhosas. Presença ainda de nodulação brancassenta medindo 1,5 x 1,5 cm. Acompanha no mesmo frasco coração previamente seccionado pesando 360 gramas e medindo em seu maior eixo longitudinal 15,5 cm e em seu maior eixo transversal 10,5 cm, com espessura de VE, septo e VD de 1,4 ; 1,6 e 0,3 cm, respectivamente; ap. 1 – formações bolhosas (2F); cap. 2 – nódulo pulmonar e VD (2F); cap. 3 – outras áreas do pulmão (2F); cap. 4 – VE , septo (3F). Total : 4 cápsulas C/R . Microscopia: secções mostram nas formações bolhosas macroscopicamente descritas espaços vazios cisticamente ditados, com edema alveolar e fibrose no parênquima adjacente. No nódulo, também descrito macroscopicamente, observa-se neoplasia maligna de padrão glandular infiltrando espaços brônquicos e alveolares. Nas demais áreas do pulmão notam-se alterações enfisematosas e foco de exsudação e necrose. O coração apresenta pequeno foco de edema e rarefação de fibras cardíacas Resultados: adenocarcinoma pulmonar medindo macroscpicamente 1,5 cm de diâmetro, bolhas subpleurais associadas a alterações enfisematosas do parênquima pulmonar, broncopneumonia aguda e coração com alteração focal sugestiva de infarto do miocárdio. Conclusão: concluímos que a morte não foi causada por envenenamento e sim por um conjunto de patologias associadas e como causa de morte imediata um IAM. A vítima era portadora de um adenocarcinoma pulmonar, pneumonia aguda e apresentou um IAM. Dessa forma, trata-se de uma morte por causas naturais e não criminal.