ACHADOS HISTOPATOLÓGICOS EM MORTE POR OVERDOSE DE COCAÍNA

REFERÊNCIAS  BIBLIOGRÁFICAS

 

  1. Brasileiro Filho, Geraldo; Bogliolo, patologia – 9ed- Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2016.
  2. França, Genival Veloso de; Medicina Legal – 10 ed – Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2015
  3. Elder, ; Elenitsas R; Johnson, B.; -Histopatologia, ed Manole, 2011
  4. Protocolo Operacional Padrão do Serviço de Patologia Forense – PEFOCE – 2017

Anderson da Silva Costa (1)

Luis Gustavo Ferreira Cortes (2) 

Renato Evando Moreira Filho (3) 

Ana Leopoldina Nogueira Rocha (4) 

Manuela Chaves Loureiro Cândido (5)

Victor Hugo Medeiros Alencar (6) 

Ricardo Antônio Macêdo Lima (7)

Francisco Januário Farias Pereira Filho (8)

(1) Médico Perito Legista PEFOCE

(2)Médico Patologista

(3) Médico Perito Legista PEFOCE

(4) Médico Perito Legista PEFOCE

(5) Perito Criminal PEFOCE

(6) Médico perito Legista PEFOCE

(7) Perito CriminalPEFOCE

(8) Médico Perito Legista PEFOCE

INTRODUÇÃO

 

Vítima de 51 anos, do sexo feminino, veio a óbito após utilização de overdose cocaína, em seu histórico já vinha em uso crônica da mesma. Esse caso visa determinar os achados anatomopatológicos presentes em uma causa morte coronariana em jovens que utilizam o opióide em destaque. Metodologia: no exame anatomopatológico são realizados os exames macroscópicos em cortes de fatias de tamanhos em cm ou mm e observados à lupa e após isso fabricados lâminas histológicas para observação microscópicas. Nesse caso, foi recebido material em recipiente contendo solução fixadora, formol a 10%. Macroscopia: constava de coração, íntegro, pesando: 482 gramas, medindo em seu maior eixo longitudinal 16 cm e em seu maior eixo transversal

11 cm, contendo algumas petéquias epicárdicas, além de sufusão hemorrágica na adventícia da aorta. Apresenta espessura de VE, septo e VD de : 1,5 cm, 1,5 cm e 0,6 cm, respectivamente. Apresenta leve a moderado espessamento de coronária. Notam-se áreas de aspecto hemorrágico e congesto na parede póstero-septal. Foram separadas em cassetes histológicos para produção de lâminas histológicas e posterior leitura, conforme- Cap. 1 – VE (3F); cap.2 – septo, VD, coronárias (4F); cap.3 – parede postero-septal, aorta (2F); cap.4 – parede postero-septal , aorta. Total: 4 cápsulas C/R. Microscopia: secções mostram pequenos, porém frequentes, focos de edema e fibrose no miocárdio. Há também em pequena área cardiomiócitos de aspecto degenerado e com hipereosinofilia citoplasmática. Observam-se ainda leve a moderada aterosclerose coronariana, moderada aterosclerose aórtica e extravasamento hemático na adventícia da aorta. Resultados: coração com focos de fibrose em miocárdio associados a área sugestiva de infarto agudo com agregados plaquetários intensos, doença aterosclerótica coronariana moderada e doença aterosclerótica aórtica moderada, com sufusão hemorrágica da adventícia associada. Conclusão: jovens em uso de cocaína, em dependência da dose, são comuns óbitos causados por IAM associados a intensos agregados plaquetários, além disso podem estar presentes sufusões hemorrágicas em territórios de aorta.


Referências bibliográficas