ASPECTOS RELEVANTES NA AVALIAÇÃO DE PERICIANDO ADULTO PORTADOR DE IMPLANTE COCLEAR

Diego Toniolo do Prado1; Carmen Silvia Molleis Galego Miziara2; Daniele Muñoz Gianvecchio3; Victor Alexandre Percinio Gianvecchio4; Daniel Romero Muñoz5; LIM-406

  1. Residente de Medicina do Trabalho da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP)
  2. Vice-Supervisora do programa de Residência Médica em Medicina Legal e Perícias Médicas da Faculdade de Medicina da USP
  3. Professora colaboradora nos cursos de pós graduação da Faculdade de Medicina da USP
  4. Professor de Medicina Legal da Academia de Polícia da Polícia Civil do Estado de São Paulo
  5. Professor Titular do departamento de Medicina Legal, Perícias Médicas, Bioética, Medicina Social e do Trabalho da Faculdade de Medicina da USP
  6. Laboratório de Imuno-Hematologia e Hematologia Forense da Faculdade de Medicina da USP

 

RESUMO

Introdução: o implante coclear (IC) é uma prótese auditiva que visa restaurar a audição. Sua implantação é complexa e demanda formação especializada. Por manipular a orelha média, que possui grande concentração de estruturas em espaço pequeno, pode promover complicações intra e pós-operatória. Entender o procedimento e suas relações anatômicas é de grande importância à perícia médica. O objetivo deste trabalho é descrever elementos relevantes que  podem ser avaliados numa perícia. Método: foi feito relato de caso de periciado de 37 anos, masculino, comerciante, com perda auditiva rapidamente progressiva, submetido a cirurgia de implante coclear, que evoluiu com complicações como migração de eletrodo, necessitando ser operado novamente para relocação do implante, porém evoluindo com perfuração timpânica no novo procedimento. Por fim, procurou um novo otorrinolaringologista, sendo reimplantado e tendo a perfuração timpânica corrigida. Ainda assim encontra-se insatisfeito com o resultado do implante, pois o mesmo o atrapalha quando ativado. Em exame físico, apresentava apenas sinais de manipulação cirúrgica, como cicatriz retroauricular e alterações em otoscopia. A avaliação deste tipo de periciado requer conhecimento do que pode ser lesado num local de anatomia tão  densa. Marco Conceitual: limitação de estudos nacionais e internacionais sobre o tema. Resultado: a cirurgia de implante coclear pode lesar estruturas como meninge, nervo facial, nervo corda do tímpano, membrana timpânica, todos passíveis de avaliação com exame físico especial neurológico e otorrinolaringológico, com necessidade de seguimento com fonoaudiólogo e otorrinolaringologista com especialidade na área em questão. A maioria das complicações é decorrente de falha técnica, fato este pouco comum. Alterações auditivas, pela particularidade, ainda podem demandar necessidade de avaliação de fonoaudiologista e otorrinolaringologista com treinamento em pacientes com implantes cocleares. Considerações Finais: O caso apresentado é um bom exemplo, uma vez que apresenta elementos sugestivos de violação da técnica cirúrgica (perfuração timpância), bem como fatalidades (migração de eletrodo).