ESTUDO DE VÍTIMAS CARBONIZADAS POR INCÊNDIOS EM VEÍCULOS

Tadeu Ellery Frota Marcos

Linard Sírio Oliveira Valdeana

RESUMO

Introdução: Atualmente, a violência caracteriza-se como um grave problema social e o incremento dos óbitos por homicídio tem expressado de forma significativa o crescimento dessa violência. Com o aumento da violência no Nordeste e o aumento das taxas de homicídio ocasionados por prováveis brigas entre facções criminosas, também pôde-se perceber o crescimento de homicídios com vítimas carbonizadas, ocasionadas, principalmente, por incêndios de veículos, no intuito de dificultar a identificação das vítimas. A carbonização é definida como a queimadura em grau máximo, com tempo prolongado de exposição às chamas e temperaturas elevadas, o que dificulta, em muitos casos, o trabalho de identificação inicial e a coleta de materiais. Objetivo: Apresentar as características mais comuns dos corpos carbonizados em automóveis, no serviço de Antropologia Forense da Perícia Forense do Ceará. Metodologia: Estudo retrospectivo, de corte transversal, através de relato de casos de exames antropológicos realizados em corpos cadavéricos de indivíduos carbonizados que chegaram no serviço de Antropologia Forense da Perícia Forense do Ceará. Resultado : Os corpos apresentavam carbonização completa, com destruição da calota craniana e perda das porções distais dos membros superiores e inferiores. Além disto, nos casos em que a carbonização foi realizada com o intuito de encobrir outra causa de homicídio, a degeneração provocada dificultou muito a determinação da causa de morte. O melhor local para coleta de DNA mostrou-se ser a região pélvica , que, em todos os casos examinados, apresentavam alguma musculatura viável para coleta de material genético. Discussão: O estudo corrobora os achados já vistos por outros autores nestas situações de carbonização. Revela também a dificuldade que, cada vez mais, encontra a perícia Médico-Legal na busca pela causa da morte. Por outro lado, em todas as situações pôde-se estabelecer a identificação por DNA. Conclusão: Diante dos corpos carbonizados que apresentem estes aspectos ao exame, cabe ao perito inferir tratar-se de carbonização em veículo e buscar coletar material para exame de DNA na região pélvica, afim de facilitar a possível identificação dos corpos e, também, a possibilidade de determinar a causa morte.