PATOLOGIA FORENSE SENDO DETERMINANTE PARA ELUCIDAR CAUSA MORTE DE UM TRIATLETA QUE VEIO A ÓBITO POR AFOGAMENTO EM UMA COMPETIÇÃO ESPORTIVA

 

Anderson da Silva Costa (1)

Luís Gustavo Ferreira Cortes (2)

Renato Evando Moreira Filho (1)

Ana Leopoldina Nogueira Rocha (1)

Manuela Chaves Loureiro Cândido (3)

Victor Hugo Medeiros Alencar (1)

Ricardo Antônio Macêdo Lima (3)

Átila Einstein de Oliveira (3)

Philipe Vasconcelos Mota Maia (1)

 João Petrola de Melo Jorge Junior (1)

(1) Médico Perito Legista PEFOCE

(2) Médico Patologista

(3) Perito(a) Criminal PEFOCE

RESUMO

Introdução: periciando é um homem de 48 anos, triatleta, que durante uma competição esportiva, veio a óbito após afogar-se. Passou determinado tempo desaparecido em meio ao mar, cerca de 24 hs após o ocorrido foi encontrado boiando entre as pedras. Durante a necropsia foram encontrados achados típicos de afogamento, tais como presença de areia fina na traquéia, congestão pulmonar, pulmão direito pesando 800g e esquerdo pesando 730g,  consistência de esponja molhada, líquido no estômago, congestão plurivisceral. Nesse caso, foi recebido material em recipiente contendo solução fixadora, formol a 10%. Recebido material em frasco contendo solução fixadora identificado como ”coração” inteiro e fragmento de pulmão.

Macroscopia: coração em estágio inicial de putrefação, pesando 364g, medindo cerca de 15 cm no maior eixo longitudinal e 7,5 cm no maior eixo transversal, apresentando espessura de VE de 1,3 cm, septo de 1 cm e VD de 0,5 cm. Apresentava algumas áreas esbranquiçadas em VE, em especial no ápice, espessamento moderado a acentuado de carótida esquerda (CX,DA) e leve em CD,válvulas sem alterações, acompanha fragmento de pulmão não aerado, firme, de coloração acastanhado, medindo 8 X 4,5 X 2,5 cm.

Microscopia: cortes histológicos do material amplamente amostrado, exibem coração e pulmão em autólise e decomposição parcial; em ápice cardíaco nota-se ampla área cicatricial, fibrótica de permeio às fibras musculares. Nas demais áreas do miocárdio, tanto em paredes direitas como em esquerda notam-se focos em que as fibras miocárdicas encontravam-se rarefeitas, onda existiam afluxo neutrofílico. Quanto as artérias coronárias, observa-se estenose por placas ateroscleróticas de leve a moderada intensidade à direita e moderada a acentuada à esquerda (ramo DA e CX). O pulmão apresentava hemorragia extensa e difusa.

Resultados: Infarto miocárdico antigo em ápice, com sinais de IAM superposto; doença aterosclerótica coronariana moderada a acentuada e hemorragia pulmonar difusa. Conclusão: o triatleta em questão foi vítima de óbito por afogamento após sofrer um infarto agudo do miocárdio, o achado de hemorragia pulmonar justifica-se pelo afogamento, contudo quem deu início a cadeia de eventos que levou ao óbito foi o IAM, excluindo-se assim óbito por traumas durante a competição no mar.