EXTRUSÃO DISCAL E AFASTAMENTO LABORAL RELATO DE CASO

Alessandra Avelino Diniz Gonzaga (2)
Giovanna Belfort Nogueira de Carvalho (1)
Jeferson Alves Vieira (4)
Lorenna Raysse de Macedo Barbosa (1)
Maria Tereza Teixeira Nóbrega (1)
Rivaldo Medeiros Filho (3)

¹Acadêmico do curso de Medicina da Faculdade de Ciências Médicas de Campina Grande-PB.

2Docente/Orientador – Faculdade de Ciências Médicas de Campina Grande (FCM-CG).

3Radiologista

4Perito Médico Federal

 

INTRODUÇÃO

A hérnia discal extrusa decorre do extravasamento do núcleo pulposo dos discos intervertebrais. É um problema grave de saúde mundial devido à incapacidade gerada. Ocorre frequentemente nos discos L4-L5 e L5-S1. Estima-se uma prevalência de 4,8% em homens e 2,5% em mulheres maiores de 35 anos.

OBJETIVOS

Relatar o caso de um trabalhador com extrusão discal lombar, tendo afastamento laboral inferior a uma semana, discutindo aspectos clínicos da patologia.

METODOLOGIA

Utilizando livros de domínio da Neurologia e Ortopedia, bem como bases de pesquisa UptoDate e Scielo.

RELATO

VGB, 38 anos, sexo masculino, repositor de hortifrúti. Relata em 21/6/2018, durante exame pericial, episódio de dor lombar em 2015. RNM, em 24/9/2015, retratando extrusão discal póstero-lateral direita em L5-S1, comprimindo a face ventral e lateral direita do saco dural com obliteração do recesso lateral direito estabelecendo contato e desvio posterior da raiz descendente direita de S1. Afastado do trabalho durante três dias, em tratamento conservador, logo retornou para a mesma função, sem novos afastamentos.

RESULTADOS

A literatura descreve casos de resolução espontânea da hérnia discal lombar inclusive na radiculopatia grave. A dor geralmente reduz em 4-6 semanas, enquanto a reabsorção leva 4-9 meses. Extrusões discais ocasionam maior comprometimento clínico do componente inflamatório devido à compressão mecânica da raiz nervosa, causando isquemia e fenômenos que sensibilizam a membrana à dor, sendo responsável por afastamentos laborais e, por vezes, readaptação profissional. No caso, a extrusão se localizava na região discal mais frequente (L5-S1), contudo, a resolução dos sintomas não ocorre em 4-6 semanas, mas em 3 dias; sem recorrência nem comprovação de piora por três anos seguidos, apesar de ocupar a mesma função laboral.

CONCLUSÃO

Há possibilidade de reabsorção espontânea de hérnia de disco lombar mesmo em grandes extrusões e nem sempre o tratamento cirúrgico e o afastamento laboral serão necessários.

Palavras-chave: Hérnia discal, Extrusão de disco, Regressão espontânea, Discopatia lombar, Lombalgia.