MANIFESTAÇÕES CUTÂNEAS DECORRENTES DO USO DE CRACK – RELATO DE CASO

Sérgio Nascimento Pereira (1)

Juari Soares de Carvalho (2)

1 Docente de Medicina Legal do Curso de Medicina da UNIOESTE – Universidade Estadual do Oeste do Paraná e da FAG – Faculdade Assis Gurgacs.  Coordenador do SVOR – Serviço de Verificação de Óbitos Regional de Cascavel. Bacharel em Direito. Mestre em Ciências Farmacêuticas – Área de Toxicologia. Tel. (45) 3226-3374. E-mail: sergimed_@terra.com.br

2 Chefe do IML – Instituto Médico Legal de Cascavel.  Administrador de empresas. Agente auxiliar de pericia oficial.

 

INTRODUÇÃO

Relato de caso de um indivíduo usuário de crack, que, durante a autópsia, foi possível observar que apresentava lesões nas extremidades distais das polpas digitais do primeiro e segundo quirodáctilos da mão direita, causadas por queimaduras devido ao uso e ao consumo de crack, substância entorpecente, sendo que estas lesões têm valor semiológico.

METODOLOGIA

Relato de caso, sendo que as informações contidas neste trabalho foram obtidas por meio de métodos descritivos, registro fotográfico das lesões e revisão da literatura com a finalidade de verificar se outros autores descreveram lesões semelhantes em casos de drogadição.

MARCO CONCEITUAL

Verificação de que a lesão dermatológica encontrada, apesar de não ser incomum, não tendo sido relatada por outros autores, tem importância semiológica, pois pode-se estabelecer o nexo causal, e quem tem a lesão pode-se correlacionar com o uso e consumo de crack devido às características da lesão.

RESULTADOS

V.N.S, masculino, 20 anos, solteiro, pardo, com várias tatuagens nos membros, em óbito causado por instrumento perfuro-contundente, consistente em projétil de arma de fogo, jaquetado, expansivo e com 9 milímetros de diâmetro, nas extremidades distais das últimas falanges dos dedos indicador e polegar da mão direita, apresentava hiperceratose e inúmeras erosões da camada epidérmica, com 1 a 2 milímetros de diâmetro, compatíveis como decorrentes de queimaduras da superfície da pele, que tocou pedras de crack que queimavam, durante a inalação da substância entorpecente. CONSIDERAÇÕES FINAIS: No caso relatado, e conforme as publicações revisadas, é possível estabelecer que a presença de múltiplas queimaduras superficiais com 1 a 2 mm de diâmetro nas porções distais das polpas digitais dos dedos polegar e/ou indicador de qualquer das mãos são indícios de lesões causadas no usuário, pelo uso e consumo de crack, sendo que essas lesões têm importância semiológica.

PALAVRAS-CHAVE: Efeitos do uso de crack na pele; Transtornos relacionados ao uso de crack; Dermatoses da mão.