A IMPLANTAÇÃO DA CAMPANHA CHOOSING WISELY MELHORA A ATUAÇÃO PERICIAL EM SERVIÇO DE REFERÊNCIA PARA AS VÍTIMAS DE VIOLÊNCIA SEXUAL

Os autores informam não haver conflito de interesse.

Ana Maria Soares Rolim (1,2)

Ana Carolina de Oliveira Almeida (2)

Lucas Chagas Aquino (2)

Igor Cardoso Freire (2)

Matheus Mota e Britto (2)

Bruno Gil de Carvalho Lima (2,3)

(1) Instituto Médico Legal Nina Rodrigues (IMLNR)

(2) Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública (EBMSP)

(3) Universidade Federal da Bahia (UFBA)

INTRODUÇÃO

A violência sexual (VS) é um grave problema de saúde pública. A vítima de VS não pode ser revitimizada ao ser periciada em serviço de referência. A implantação da campanha Choosing Wisely (CCW), com a criação da lista, promoveu discussão crítica da atuação pericial e permitiu atividades de educação médica, afim de evitar práticas desnecessárias. O objetivo desse trabalho é avaliar se essa intervenção resultou na redução do tempo de liberação dos laudos das vítimas de VS, além de verificar se houve modificação na solicitação de exames nessas perícias.

METODOLOGIA

Trata-se de um estudo de modelo observacional ambispectivo com revisão dos laudos antes e depois das atividades da CCW. Construção de tabelas com frequências e percentuais, médias e desvios padrões. Teste qui-quadrado foi aplicado para comparação das variáveis categóricas. E Teste t pareado para comparação do tempo para liberação dos laudos. Marco conceitual: Teoria do clima social (socialização baseada em gênero e scriptis sexuais).

RESULTADOS

Foram comparadas pericias de vítimas de VS realizadas antes (no segundo semestre de 2017, n= 444) e depois da CCW (no segundo semestre de 2019, n= 407) no município de Salvador. Na tabela 1 observa-se que a Constatação de Conjunção Carnal foi o exame mais solicitado (80,9% e 72%, respectivamente). A maioria das vítimas examinadas foi do sexo feminino (84,4%). A mediana da idade dos periciados foi de 12 anos (IIQ= 7-16), sendo que as crianças foram as mais periciadas (46,4% e 43,1%, respectivamente), seguidas dos adolescentes (33,1% e 34,6%, respectivamente). A tabela 2 mostra redução significativa do tempo para liberação do laudo com a intervenção (p ˂ 0,05). As solicitações de exames laboratoriais diminuíram de 2017.2 para 2019.2 (p ˂ 0,05 -Tabela 3). Discussão: Estudos nacionais e internacionais apontam o sexo feminino como o mais suscetível à VS e as crianças o principal grupo de vitimização. A CCW busca promover o diálogo entre médicos e pacientes, ressaltando a beneficência e o princípio da não maleficência. O excesso de exames não agrega valor à perícia. A celeridade na liberação dos laudos gera benefícios para vítimas e para sociedade.

CONCLUSÃO

A implantação da campanha CW, divulgação da lista e medidas educativas resultaram na redução de tempo para liberação dos laudos das vítimas de violência sexual e a redução da solicitação de exames.

Referências bibliográficas

  1. AMERICAN BOARD OF INTERNAL MEDICINE FOUNDATION. Choosing Wisely®. Promoting conversations between patients and clinicians. Disponível em: http://www.choosingwisely.org/. Acesso em: 13 mar. 2018.
  2. SENA, Claudia Alves de; SILVA, Maria Arleite da; NETO, Gilliatt Hanois Falbo. Incidência de violência sexual em crianças e adolescentes em Recife/Pernambuco no biênio 2012-2013. Cien Saude Colet; 23(5): 1591–9, 2018. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/csc/v23n5/1413-8123-csc-23-05-1591.pdf Acesso em: 03 jun. 2019.
  3. SUDUPE MORENO, Ainara. Age differences among victims of sexual assault: A comparison between children, adolescents and adults. J Forensic Leg Med; 20(5):465-470, 2013. Disponível em: https://doi.org/10.1016/j.jflm.2013.02.008. Acesso em: 11 jan 2018.
  4. KOÇTÜRK, Nilüfer; YÜKSEL, Fadime. Characteristics of victims and perpetrators of intrafamilial sexual abuse. Child Abuse & Negl. 96: 1–9, 2019. Disponível em: https://doi.org/10.1016/j.chiabu.2019.104122. Acesso em: 10 jul. 2020.