Artigo Original

PERFIL DOS PÓS-GRADUADOS EM MEDICINA LEGAL E PERÍCIAS MÉDICAS EM FACULDADES DE MEDICINA DE SÃO PAULO

Caroline Yumi Takikawa Utiyama(1)

Claudia Lino Pechina(1)

Victor Alexandre Percinio Gianvecchio(2)

Daniele Muñoz Gianvecchio(3)

(1). Médica pós-graduanda em Medicina Legal e Perícias Médicas pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.

(2). Professor de Medicina Legal e Bioética da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.

(3). Professora do Curso de Especialização em Medicina Legal/Perícias Médicas da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. Endereço para correspondência: Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo Rua Dr. Cesário Motta Jr., 61 – São Paulo – SP – Cep: 01221-020 – Fone: (11) 3367-7700. Email: victorgianvecchio@hotmail.com

Introdução: Os cursos de especialização tem sido a opção da maioria dos médicos que desejam realizar perícias médicas e aperfeiçoar seus conhecimentos na área. O presente trabalho pretende traçar o perfil dos médicos egressos desses cursos de especialização em São Paulo.

Metodologia: Trata-se de um estudo do tipo transversal. Após aprovação pelo Comitê de Ética em Pesquisa em Seres Humanos da Santa Casa de São Paulo, foi elaborado um questionário e este disponibilizado aos participantes por meio eletrônico perante aceite de Termo de Consentimento Livre e Esclarecido. O mesmo constitui-se de 18 perguntas. Foram obtidas respostas de 175 ex-alunos. As informações foram analisadas através da extração de gráficos e tabelas pelo Microsoft Excel.

Marco conceitual: Segundo estudo, há no país 1.619 títulos de especialistas em Medicina Legal e Perícias Médicas. Esta baixa procura pode ser explicada pela visão da própria classe médica que, por muito tempo, associou a especialidade como aquela que “cuida de cadáveres”. No entanto, houve uma mudança nesse panorama nos últimos anos e se tornou crescente a procura por adequada formação na área através de Pós-Graduação Lato Senso.

Resultados: Não foi encontrada disparidade entre os sexos, sendo 54% mulheres e 46% homens. Em relação à idade, a faixa etária predominante foi a dos 30 a 49 anos, perfazendo 69% do total. Cerca de 84% dos respondentes são procedentes do Estado de São Paulo. Quanto ao delineamento profissional daqueles que atuam na área pericial, 62,8% dos ex-alunos atuam na área pericial e em mais uma, dado que a mais frequente área de atuação concomitante é a da Medicina do Trabalho. Observou-se que dos 131 participantes que atuam na área pericial, cerca de 35% concentraram-se em atividades na Assistência Técnica exclusivamente e na atuação concomitante de Perito Judicial em diversas áreas. Referente à obtenção do título de especialista em Medicina Legal e Perícias Médicas dos 31 ex-alunos que se submeteram à prova, 87% foram aprovados.

Conclusão: Conhecer o perfil dos profissionais que ingressaram nos últimos anos nesta área contribui para esclarecer sobre onde se encontra a especialidade pericial no momento atual de aumento de número de médicos formados a cada ano e também a reforça a importância das capacidades necessárias ao médico perito e de sua vasta área de atuação, pontos que são essenciais para a contínua valorização desta especialidade.


Referências bibliográficas

  1. SCHEFFER, M. et al. Demografia Médica no Brasil 2020. São Paulo, SP:
    FMUSP, CFM, 2020. 312 p. ISBN:978-65-00-12370-8 (Disponível em:
    https://www.fm.usp.br/fmusp/conteudo/DemografiaMedica2020_9DEZ.pdf).
    [Acessado em 06 de abril de 2021]
  2. MUÑOZ, Daniel Romero et al. Especialidades Médicas – Medicina Legal e
    Perícias Médicas. Rev. Med. (São Paulo). 2012;91(ed. esp.):45-8.
  3. MUÑOZ, Daniel Romero et al. Momento histórico de uma especialidade. Saúde,
    Ética & Justiça. 2010;15(2):69-74.
  4. Chaves LLG, Gianvecchio VAP, Razaboni RS, Miziara ID, Muñoz DR. Residência
    médica em Medicina Legal e Perícias Médicas: a formação técnico-científica do
    perito. Saúde, Ética & Justiça. 2016;21(2):63-6.