Resumos

PREVALÊNCIA DE TRANSTORNOS MENTAIS RELACIONADOS AO TRABALHO NO BRASIL:  UMA COMPARAÇÃO PRÉ E PÓS-PANDÊMICA

Os autores informam que não há conflito de interesse.

Maria Clara Monteiro de Souza Lima (1)

Anna Beatriz Vilas Boas Moreira (1)

Daniel Nascimento  Machado (1)

Raul Coelho Barreto Filho (2)

(1) Acadêmico de Medicina na Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública

(2) Médico e  professor da Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública.

INTRODUÇÃO/FUNDAMENTOS: Transtornos mentais relacionados ao trabalho são frequentes e repercutem não só na atividade laboral, como na qualidade de vida do indivíduo. Durante a pandemia de COVID-19 – com início em 2019, houve mudanças no que tange ao comportamento da sociedade em relação à sua atividade laboral – a exemplo do isolamento social e do teletrabalho – que trouxeram incertezas na dinâmica de trabalho da maioria dos profissionais e funcionaram como um dos fatores que influenciaram o surgimento de transtornos mentais na população do Brasil.1 Nesse escopo, fica evidente a importância de avaliar a prevalência desses transtornos em uma comparação pré e pós-pandêmica.

OBJETIVOS: Descrever a prevalência anual dos transtornos mentais relacionados ao trabalho no Brasil, a partir da comparação de dados dos anos de 2018 a 2021. Ademais, expor se houve aumento da prevalência no ano do início da pandemia (2019), em relação ao período pré-pandêmico (2018), e se a tendência de aumento persistiu no que se refere ao período pandêmico (2019 e 2020) e pós pandêmico (2021).

MÉTODOS: Estudo descritivo, transversal, através da coleta de dados utilizando a plataforma DATASUS, utilizando os dados disponíveis referentes aos anos de 2018 a 2021.

RESULTADOS: Entre 2018 e 2021, houve um total de 7337 casos. Destes, 1812 (24,7%) foram registrados em 2018, 2378 (32,4%), em 2019, 1343 (18,3%) em 2020 e 1804 (24,6%) em 2021. Dessa forma, comparando por períodos: de 2018 para 2019, os casos aumentaram de 1812 para 2378, o que representa um aumento percentual de 31,2%. De 2019 para 2020, os números registrados caíram 43,5% e, de 2020 para 2021, foi observado um novo aumento correspondente a 34,3%.

CONCLUSÕES/CONSIDERAÇÕES FINAIS: Dos 7.337 casos totais, o ano com maior número de casos de transtornos mentais relacionados ao trabalho no Brasil foi 2019, momento de início da pandemia no país, fator que promoveu alteração na dinâmica trabalhista brasileira. Entretanto, foi possível concluir que o período pós pandêmico (2021), em relação ao número de casos, teve prevalência semelhante ao período pré-pandêmico (2018), com um aumento de 34,3% relativamente ao ano de 2020. Tal conclusão foi possível visto que houve, também, um declínio de 43,5% dos casos, quando comparados os anos de 2019 e 2020. 


Referências bibliográficas

  1. . Barbosa ALNH, et al. MERCADO DE TRABALHO E PANDEMIA DA COVID-19: AMPLIAÇÃO DE DESIGUALDADES JÁ EXISTENTES?. Repositório IPEA [Internet]. 2020 Jul 01 [cited 2022 Aug 25]:1-10. Available from: http://repositorio.ipea.gov.br/bitstream/11058/10291/2/BMT_69_mercado_de_tra balho.pdf
  2. SUS. DATASUS: tabnet [Internet]. Brasil: Sistema de Informação de Agravos de Notificação – Sinan Net; [entre 2018 e 2021] [cited 2022 Aug 25]. Available from: http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/tabcgi.exe?sinannet/cnv/transmentalbr.def