Resumos

A IMPORTÂNCIA DA PATOLOGIA FORENSE NA ELUCIDAÇÃO DA CAUSA MORTIS POR MEIO BIODINÂMICO: EMBOLIA POR SILICONE INDUSTRIAL – UM RELATO DE CASO

João Paulo Ferreira Ribeiro (1)

Jherlley Antonio Bazon Mendes (1)

Isabella Paula Gomes Rocha (1)

Luciana de Paula Lima Gazzola (1)

Cibele Fontes Alves (2)

Mateus Feliciano Resende Moura (1)

(1) Universidade Federal de Minas Gerais

(2) Polícia Civil do Estado de Minas Gerais.

INTRODUÇÃO: A população LGBTQIA+ no Brasil sofre historicamente com diversas formas de violência, incluindo a institucional. O acesso ao sistema de saúde é difícil devido à falta de capacitação dos profissionais de saúde em questões de gênero e sexualidade, resultando em negligência e recusas de tratamento. Especialmente a transição de gênero enfrenta obstáculos, levando algumas pessoas a procedimentos clandestinos, com riscos à vida. A investigação de mortes carece de recursos e expertise, enquanto os investimentos em Patologia Forense no país são escassos e podem ser necessário na investigação das infrações que deixam vestígios, conforme o presente relato de caso.

RELATO DE CASO: Uma pessoa transgênero, 31 anos, sofreu uma parada cardiorrespiratória em sua residência sem retorno a circulação espontânea após tentativas de reanimação com suporte avançado de vida. A morte foi considerada suspeita e o corpo foi levado ao Instituto Médico Legal (IML) na tentativa de esclarecer a causa da morte. Quatro dias antes, a paciente realizou injeção de silicone industrial em nádegas.

RESULTADOS: Foram observados os seguintes achados necroscópicos: presença de feridas punctórias em nádega direita e esquerda, sugestivas de feridas causadas por agulhas. Abundante quantidade de material translúcido e de aspecto viscoso nas nádegas e região torácica. No exame anatomopatológico, evidenciou-se na região glútea abundante quantidade de material exógeno, levemente birrefringente, formado por imagem negativa, de aspecto globular, com formação de cavidades císticas, de diversos tamanhos, estendendo-se até o tecido muscular esquelético. Associaram-se focos de processo inflamatório crônico, do tipo corpo estranho, em que se observam gotículas arredondadas ou formações cistificadas, envoltas por histiócitos epitelióides e espumosos, além de neoformação conjuntiva, infiltrado inflamatório mononuclear e algumas células gigantes multinucleadas. Fragmentos de pele da região torácica evidenciaram material com características semelhantes ao descrito na região glútea, com formação de cavidades císticas de diversos tamanhos. Os pulmões apresentaram gotículas arredondadas, em imagem negativa, por vezes permeadas por hemácias, presentes difusamente em vasos sanguíneos de todos os calibres. Associou-se acentuada congestão vascular, focos de hemorragia alveolar, edema alveolar multifocal, além de áreas de hiper distensão dos espaços aéreos distais. No encéfalo se observou acentuada congestão vascular, focos de hemorragia recente perivascular e focos de necrose neuronal seletiva. Gotículas arredondadas em imagem negativa também foram observadas vasos de pequeno calibre do encéfalo e do parênquima cardíaco.

CONCLUSÃO: São cruciais os investimentos em patologia forense e medicina legal na elucidação de mortes suspeitas. A escassez de recursos, tanto em termos de equipamentos quanto de profissionais adequadamente treinados, tem resultado em lacunas substanciais na coleta e interpretação de evidências. Essa carência de informações vitais não apenas prejudica a formulação de políticas públicas embasadas, mas também perpetua um ciclo prejudicial de violência devido à ausência de medidas preventivas eficazes.


Referências bibliográficas

  1. TARIOLO, Malena. Levantamento quantitativo pioneiro na América Latina mapeia comunidade ALGBT no Brasil. Jornal da UNESP, [S. l.], 24 out. 2022. Disponível em: https://jornal.unesp.br /2022/10/. Acesso em: 1
    ago. 2023.
  2. MONTEIRO, Danielle. Comunidade LGBTQIA+ sofre com dificuldades de acesso aos serviços de saúde.
    FIOCRUZ, [S. l.], 29 jun. 2022. Disponível em: https://informe.ensp.fiocruz.br/noticias/53188. Acesso em: 1
    ago. 2023.
  3. WITALUSAN FERREIRA MENDES; ELISÂNGELA DE ANDRADE AOYAMA. ÓLEO DE SILICONE: MULHERES
    TRANSGÊNERAS EM BUSCA DO CORPO PERFEITO. Revista Brasileira Interdisciplinar de Saúde, [S. l.], 2020. Disponível em: https://revistarebis.rebis.com.br/index.php/rebis/article/view/64 Acesso em: 12 ago. 2023.
  4. MENDES, MONIQUE et al. Complicação grave do uso irregular de silicone industrial em paciente transexual:
    relato de caso. Revista Brasileira de Cirurgia Plástica [online]. 2020, v. 35, n. 03 [Acessado 12 Agosto 2023],
    pp. 358-362. Disponível em: <https://doi.org/10.5935/2177-1235.2020RBCP0062. Epub 01 Maio 2023. ISSN
    2177-1235.
  5. BRASILEIRO FILHO, G. Bogliolo. Patologia Geral. 9ª edição. Editora Guanabara. Koogan S.A., Rio de Janeiro, RJ,
    2016.