ACHADOS MACROSCÓPICOS NA NECRÓPSIA DE CASOS SUSPEITOS DE COVID-19: REVISÃO BIBLIOGRÁFICA

Os autores informam não haver conflito de interesse.

Gabriel Lessa de Souza Maia (1)

Jayme Marden Mendonça de Amorim (1)

Matheus de Souza Cavalcanti (1)

Izis Karoliny Ferreira Vieira (1)

Aída Maria Ferrário de Carvalho Rocha Lôbo (1)

Gerson Odilon Pereira (1)

(1) Centro Universitário Tiradentes (UNIT-AL). Maceió, AL.

e-mail: gabriel.lessa@souunit.com.br

 

INTRODUÇÃO

A COVID-19 manifesta-se usualmente na a Síndrome Respiratória Aguda Grave, mas também em outras manifestações pulmonares e sistêmicas. Dessa forma, o presente estudo visa identificar os achados macroscópicos prevalentes na necropsia em corpos suspeitos de COVID-19, posteriormente confirmados.

MÉTODO

Trata-se de uma revisão bibliográfica narrativa prospectiva analítica feita na base da dados PubMed. Os descritores utilizados foram “Autopsy” e “Coronavirus Infections”. Critérios de inclusão: autópsia feita em corpos com suspeita de COVID-19, com confirmação após a necrópsia e artigos escritos em inglês ou português. Na seleção, de 206 artigos publicados entre 1/12/2019 a 1/12/2020, foram selecionados 14 para a revisão.

MARCO CONCEITUAL

A endotelite generalizada foi um achado macroscópico de grande relevância nos artigos analisados, sendo a região torácica afetada com maior frequência pela inflamação: pleurisia e pericardite foram comuns na grande maioria das autópsias.

RESULTADOS

Os pulmões, na maioria dos casos, estavam mais pesados que o normal, fissurados e edematosos, frequentemente com broncopneumonia sobreposta em áreas de consolidação focais, mais agressivamente nos lobos inferiores, contudo usualmente sem um padrão de foco nos lobos. Tromboembolismo pulmonar foi um achado relativamente frequente, entretanto, a trombose venosa profunda mostrou-se ainda mais prevalente. No coração a maioria dos achados advém de doenças cardiovasculares preexistentes, destacando-se a cardiomegalia e a aterosclerose. Não obstante, trombose venosa intramiocárdica foi identificada em alguns casos. Nos rins, aspecto eritematoso advindo da endotelite. O encéfalo, de forma menos frequente, apresentava edema cerebral, encefalite, meningite, danos isquêmicos difusos e lesões hemorrágicas focais disseminadas com sufusões. Os achados macroscópicos nas necropsias também incluíram hepato-esplenomegalia.

CONCLUSÃO

Os achados macroscópicos dos danos causados pela COVID-19 podem ser não específicos e variam em cada caso, mas a presente revisão demonstrou ser possível traçar um padrão que envolve inflamação, trombocitose e suas consequências fisiológicas, o que pode auxiliar o médico-legista na investigação da causa-mortis em casos suspeitos de COVID-19.


Referências bibliográficas

  1. D’errico, S. et al. More than Pneumonia: Distinctive Features of SARS-Cov-2 Infection. From Autopsy Findings to Clinical Implications: A Systematic Review. Microorganisms. vol. 8. 23 de Outubro de 2020.
  2. Hanley, B et al. Autopsy in suspected COVID-19 cases. Journal of clinical pathology vol. 73,5 p.239-242. 2020
  3. Matschke, J et al. Neuropathology of patients with COVID-19 in Germany: a post-mortem case series. The Lancet. Neurology vol. 19,11 p.919-929. 2020.
  4. Sessa, F et al. Clinical-Forensic Autopsy Findings to Defeat COVID-19 Disease: A Literature Review. Journal of clinical medicine. vol. 9.. 28 de Junho de 2020.