Resumos

DIAGNÓSTICO POR EXAME NECROSCÓPICO DE EMBOLIA GASOSA  INTENCIONAL: UM RELATO DE CASO

Os autores informam que não há conflito de interesse.

Jabson Santos Ferreira (1)

Daniele Muñoz (2)

Valéria M. S. Framil (2)

Victor A. P. Gianvecchio (3)

Daniel Romero Muñoz Muñoz (4). 

(1) Médico pós graduando em Perícias Médicas e Medicina Legal (MLPM) pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa  Casa de São Paulo (FCMSCSP)

(2) Professora Colaboradora do Curso de Especialização em MLPM da FCMSCSP

(3) Professor de MLPM da FCMSCSP

(4) Coordenador do Curso de Especialização em MLPM da FCMSCSP

INTRODUÇÃO: Embolia gasosa é definida com a entrada de ar ou gás medicinal no interior da luz de estruturas vasculares 1 , 2 . Esse evento costuma ser iatrogênico e suas repercussão clínicas variam desde condições assintomática a colapso cardiopulmonar 3 e em alguns casos óbito. A embolia gasosa arterial pode comprometer músculos, vísceras, cérebro e coronária. A embolia gasosa venosa afeta, via de regra, os pulmões e dependo do volume de ar afeta o débito cardíaco

OBJETIVOS: Esse relato teve o objetivo descrever a necropsia em periciado suspeito de intencionalmente ter provocado embolia gasosa em si. 

RELATO DE CASO: Homem, 44 anos, veio a óbito após 15 dias de internação com histórico de epilepsia, etilismo e depressão. Recebido em um IML do estado de Goiás em virtude de suspeita de suicídio por conexão tubo extensor de cateter fluxo de oxigênio em equipo multivia da venóclise. Ao exame necroscópico, realizado abertura de cavidade torácica e abdominal identificado grande presença de ar no interior do coração. Atado vasos pulmonares, isolado e seccionado o coração o imergiu em recipiente com água, observou-se à incisão das câmaras átrio e ventrículo direito grande quantidade de bolhas de ar saindo do órgão. A partir do exame e desse teste, firmou-se de diagnóstico de embolia gasosa venosa maciça, provocando óbito por choque obstrutivo. 

DISCUSSÃO: Os sinais e sintomas de embolia gasosa venosa depende do volume e da taxa de infusão de gases. Pequenos volumes de gases são bem tolerado e não geram sintomas. Quantidade maiores geram manifestações pulmonares como hipercapnia e hipóxia. Se mais gás alcançar o sistema venoso haverá elevação da resistência da vasculatura pulmonar, sobrecarga ao ventrículo direito, diminuição do pré-carga, redução do débito cardíaco, arritmia, colapso cardiovascular, insuficiência cardíaca aguda 6 por choque obstrutivo e finalmente parada cardíaca. A conexão de fluxo de oxigênio na venóclise fornece grande quantidade de gás diretamente nas veias com pressão suficiente para gerar rapidamente um colapso cardíaco por choque obstrutivo. O caso em tela mostrar um evento incomum e trágico de provável suicídio em ambiente intra-hospitalar. 

CONCLUSÕES: Periciado internado no hospital por epilepsia, etilismo e transtorno de humor depressivo. Investigado de suspeita de suicídio pode meio heterodoxo. Paciente com histórico de depressão precisa ser tratado adequadamente e manter vigilância contínua; de igual forma é necessário ter cuidado com fonte oxigênio em paciente com venóclise. O diagnóstico de embolia gasosa durante a necrópsia pode ser realizada isolando e imergindo o coração em recipiente de água.


Referências bibliográficas

  1. Muth CM, Shank ES. Gas embolism. N Engl J Med, 2000;17;342:476-482. 
  2. Palmon SC, Moore LE, Lundberg J, Toung T. Venous air embolism:a review. J Clin Anesth 1997;9:251-7 Durant TM, Long J, Oppenheimer MJ. Pulmonary (venous) air embolism. Am Heart J 1947;33:269-81 Souders JE – Pulmonary air embolism. J Clin Monit Comput, 2000;16:375- 383 
  3. De Angelis J. A simple and rapid method for evacuation of embolized air. Anesthesiology 1975;43:110-1 Spencer MP, Oyama Y. Pulmonary capacity for dissipation of venous gas emboli. Aerosp Med