Editorial

Carta do editor

Vol. 5 n. 2, jun. 2020

Perspectivas chega a 12ª edição. Desde o seu lançamento, a Revista cumpre seus objetivos, ou […]

Leia mais
Ivan dieb miziara
Editorial

Carta do Presidente

Vol. 5 n. 2, jun. 2020

Caros colegas, A nossa revista Perspectivas, canal de divulgação científica da ABMLPM,  em sua 12ª […]

Leia mais
Artigo Original

INTERPRETAÇÃO DOS ACHADOS MÉDICOS EM CASOS SUSPEITOS DE ABUSO SEXUAL DE MENORES DE 18 ANOS: ANÁLISE DE 13.870 LAUDOS

Vol. 5 n. 2, jun. 2020

Este estudo teve por objetivo mostrar os resultados de exames sexológicos quanto à confirmação de violência sexual de crianças e adolescentes, tomando como base os laudos médico-legais realizados nos Institutos Médicos Legais do Estado de São Paulo no ano de 2017.

Leia mais
Artigo Original

ANÁLISE DAS PERÍCIAS DE SEXOLOGIA CRIMINAL EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES NO I.M.L. ESTÁCIO DE LIMA – MACEIÓ/AL EM 2016.

Vol. 5 n. 2, jun. 2020

Esta pesquisa analisou os laudos dos exames periciais de sexologia criminal realizados em crianças e adolescentes (de 0 a 18 anos incompletos), no Instituto Médico-Legal (IML) Estácio de Lima, durante todo o ano de 2016. O método utilizado foi o estudo epidemiológico, observacional, descritivo, retrospectivo e analítico.

Leia mais
Artigo de Revisão

VIOLÊNCIA PSICOEMOCIONAL CONTRA CRIANÇA E ADOLESCENTE: MAUS-TRATOS INVISÍVEIS

Vol. 5 n. 2, jun. 2020

A violência contra crianças e adolescentes é um problema de saúde pública sem limites geográficos ou econômicos, e vem se tornando cada vez mais frequente em todo o planeta. O tipo de violência psicoemocional é considerado a forma mais frequente, mas nem sempre é identificado, muitas vezes aceito culturalmente. Este estudo teve como objetivo mostrar os principais aspectos relacionados a essa natureza da violência e suas consequências.

Leia mais
Artigo Original

NOTIFICAÇÃO DE TENTATIVA DE SUICÍDIO POR INTOXICAÇÃO EXÓGENA ENTRE ADOLESCENTE RESIDENTES NO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO

Vol. 5 n. 2, jun. 2020

Este artigo discute tentativas de suicídio entre adolescentes (10 a 19 anos) residentes no município de São Paulo, de janeiro a dezembro de 2014. Além dos fatores de risco ao suicídio na juventude, também são expostas características epidemiológicas do grupo analisado e o perfil das notificações.

Leia mais